Elas mudaram de profissão no meio da vida e não se arrependem

A gente começa a pensar desde cedo no que quer ser quando crescer, mas, quando a gente chega lá, nem sempre tudo é como a gente sonhava, né? Se você tá com vontade de conseguir um emprego novo em outra área beeem diferente - e pra isso vai ter que passar por uma entrevista, claro - a gente te convida a conhecer a história dessas gatas e deixar de lado aquele medinho de começar do zero. Elas vão te mostrar que nunca é tarde pra gente se sentir feliz e realizada na carreira.

Camila Gomides (@camilagomides) - “Todo dia eu aprendo uma coisa diferente e me sinto muito mais útil agora”

De designer de moda pra professora de inglês é uma viagem graaande e a Camila garante que tá adorando esse caminho =)

“Eu me formei em design de moda e, quando consegui um emprego num escritório de moda na minha cidade, foi um sonho no início: era tudo que eu sempre quis, mas o preço era bem alto. Eu tinha que lidar com muita gente sem educação, sofri muito (nem gosto de lembrar), até que chegou um momento que a paixão virou ódio. Tive crises pesadas de estresses que fizeram meu cabelo e unhas caírem. Eu estava muito frustrada e triste com o que estava fazendo, até que uma amiga me indicou pra uma vaga de professora numa escola de inglês. Não só aceitei, como hoje trabalho em duas escolas. Me sinto bem mais feliz e realizada agora, além de já estar recebendo o dobro do que quando estava na profissão que me formei [quem não quer ganhar um aumento, né?]. As coisas aconteceram e eu fui me apaixonando por ser professora - todo dia eu aprendo uma coisa diferente e me sinto bem mais útil.”

Michele Gulis (@michelegulis) - “Sou graduada em jornalismo, pós-graduada em comunicação e extremamente realizada como maquiadora”

A Michele trocou o jornalismo pela maquiagem e não se arrepende nem um pouquinho

“Quando me formei em Jornalismo procurei emprego pra todo lado, mas como não achava fui ficando desanimada. Na época meu namorado (hoje marido) perguntou se de aniversário de namoro eu queria ganhar um curso de maquiagem ou outro presente. Escolhi o curso, fiz e me apaixonei, mas fiquei com muito medo de "abandonar" tudo que tinha estudado em quatro anos pra começar uma nova profissão. Como eu não achava trabalho na área, fui trabalhar em shopping vendendo maquiagem, aí vi que eu amava mesmo essa área. Ainda fiz uma pós em comunicação pra ver se ainda havia alguma chance de me dar bem no jornalismo, mas nada aconteceu. Foi quando, há três anos, eu resolvi começar a maquiar e minha vida mudou!  Sou graduada em jornalismo, pós-graduada em comunicação empresarial e mídias digitais e extremamente realizada como maquiadora.”

Taize Jaloto (@taize_monteiro) - “No final das contas eu não era tão feliz trabalhando em moda como sou agora com design de interiores”

A Taize até lutou contra o destino, mas acabou como a design de interiores que ela tinha que ser

“Eu me formei em design de moda e visual merchandising, mas depois mudei pra design de interiores, que é o que definitivamente me faz feliz. Eu deveria ter feito o curso antes, porque meus testes vocacionais sempre davam arquitetura, mas eu não queria por causa dos cálculos. Eu era muito nova e não conhecia muito das coisas. Depois de me formar em moda, me indicaram pra trabalhar em um escritório de arquitetura e decoração, um trabalho que eu comecei a gostar bastante. Mudei de cidade várias vezes e numa dessas consegui um emprego que era gerenciar o acabamento de obras, onde eu ajudava na compra de materiais. Eu resolvi fazer um curso (na verdade váaarios), mergulhei de cabeça e, hoje em dia, trabalho como consultora de design numa empresa ótima. Eu fui empurrada pra mudar de profissão e gostei, porque além de pagar mais e ter mais campo de trabalho, descobri que no final das contas eu não era tão feliz trabalhando com moda quanto sou com design de interiores.”

Taianne Matheus  (@dosededoce) - "Sou muito feliz fazendo doces como eu acho que jamais seria sendo advogada"

Os brigadeiros trouxeram a felicidade pra essa ruivinha formada em advocacia.

"Eu entrei na faculdade de Direito e na metade do curso já sabia que aquilo ali não era pra mim. Quando estava no nono período passei na OAB, fui viajar e, quando voltei, foquei em estudar pra concurso. Parei no meio do cursinho porque fiquei doente, tive dores terríveis no estomago e crises que não conseguia sair da cama. Fiz vários exames e não tinha nada de errado. Até que, depois de muitos médicos, o último me falou que meu problema era psicológico. Tive que me tratar e nesse tempo de 'férias' comecei a fazer lanche pra família todo dia - cada dia um bolo diferente. Comecei a testar receitas de brigadeiros e pronto: descobri sem querer o que eu gostava de fazer. Meu pai me incentivou totalmente e ajudou nos equipamentos: comprou forno, batedeira, panela, tudo que eu precisava. Tomei um quartinho da casa pra ser meu 'estoque' e uso a nossa cozinha mesmo mesmo pra trabalhar. Hoje trabalho muito, viro madrugadas, não tenho renda fixa e muitas vezes deixei de ter finais de semana e feriados, mas é o que eu amo fazer. Sou muito feliz fazendo doces como eu acho que jamais seria sendo advogada."

Agora que você conheceu a história dessas maravilhosas que tiveram coragem de mudar de carreira, que tal ver quais foram as mudanças radicais que as leitoras do site já fizeram no cabelo? A gente garante que coragem foi o que não faltou! 

Publicado em: Terça-feira 12 de julho de 2016 - 11h37

Destaques da Semana

Escolha o seu humor do dia e veja as dicas para ficar sempre pronta!

  • Me Achando
  • De Boas
  • Precisando de uma força
  • Tensa

#GarnierBrasil

GarnierBrasil
Ir para o topo